Grupo RL

Notícias na General Osório

Listando: 1 à 5 de 1079
ESPECIAL: POR DENTRO DA FESTA DE 115 ANOS DA HARLEY-DAVIDSON NOS EUA

O MOTO.com.br esteve em Milwaukee e conta como foi viver de perto as comemorações dos 115 anos da fabricante norte-americana

O MOTO.com.br foi convidado para participar de um dos maiores encontros de motos do mundo: o aniversario de 115 anos da Harley-Davidson na cidade de Milwaukee, nos Estados Unidos.

Estima-se que estiveram na cidade mais de 160 mil motocicletas para o evento – a maioria, evidentemente, era da Harley. Assim como o MOTO.com.br, outros veículos de imprensa foram convidados pela fabricante para o evento: jornalistas do México, da Argentina e sete representantes brasileiros, junto com a equipe da Harley-Davidson do Brasil - Flávio Villaça – Marketing Manager Latin America.

Giovanna Paggiossi (Lead Customer Experience) e Victor François (Press Relations MGR).

Participar da comemoração de uma marca ícone das duas rodas e sentir de perto a paixão do público pela marca é uma experiência única. Pessoas de diversos lugares do globo foram a Milwaukee para celebrar: China, Rússia, muitos países europeus e brasileiros, claro – alguns saíram de nosso país e fizeram o trajeto de moto até o local da festa.

Entre o grupo de brasileiros na festa, duas se destacaram: as Anas – Ana Pimenta e Ana Sofia, que rodaram 115 dias para chegar até Milwaukee. Tivemos o prazer de chegar junto com elas na concessionária Harley-Davidson Milwaukee. Um “rolezinho”, como a dupla classificou a jornada. Parabéns para as Anas pelo feito!

O evento

O museu da Harley-Davidson, no centro de Milwaukee, era principal ponto de concentração de motos. Nos arredores, festas em vários bares, como o Iron Horse e o Fuel Café, Street Party com bandas, gastronomia, cervejas e várias atrações - como o Veteran Park, um porto da cidade que tinha o Globo da Morte, tirolesa com moto, roda gigante e o Wall of Death, todas com lojas de vários produtos da marca.

No primeiro dia, visitamos a casa de madeira onde a história da Harley teve início e hoje é o escritório da fábrica. Galpões de tijolo aparente com pé direito bem alto, lembrando as fábricas do século passado. Na entrada, passamos por vários modelos de motores até acessar o elevador para o quinto andar, onde participamos de uma coletiva de imprensa com os diretores da empesa, que apresentaram a essência e o espírito da Harley-Davidson.

Todos os envolvidos são apaixonados por motos e querem sempre transmitindo tal experiência e o espírito das duas rodas. O mesmo espírito que, em 1903, levou dois jovens a instalar um motor em um quadro de bicicleta, com a intenção de se locomover com mais velocidade e conforto nas subidas. Os dois jovens se chamavam Arthur Davidson e William S. Harley e provavelmente não imaginavam que estavam criando uma das marcas mais cobiçadas pelos amantes de motocicletas.

Os bisnetos de Arthur Davidson, Bill Davidson e Karen Davidson – filhos de Willie G. Davidson, designer conhecido da marca - fazem parte do conselho e sempre estão envolvidos nas novas decisões.

Como, por exemplo, na reformulação de diversos modelos da linha 2018 e 2019, que tem como objetivo atrair mais o público jovem e conquistar novos mercados, como o mercado chinês, o mais populoso do planeta. Não passou batida a insatisfação da cúpula da fabricante com o presidente Donald Trump, que sobretaxou a exportação de motos para a Europa – como conseqüência, a marca estuda até montar

uma fábrica no velho continente.

Voltando para a festa, não faltaram atrações: fomos para Chicago, a cerca de 150 quilômetros de Milwaukee, ver uma prova em uma pista de arrancada, da qual qualquer piloto poderia participar. No entanto, as motos da marca com o estilo dragster eram as que chamavam a atenção com o som ensurdecedor que saía dos escapamentos e o cheiro de borracha queimada em cada arrancada vigorosa. Um espetáculo!

Em outro momento, fomos para o ginásio Milwaukee Panther Arena. Lá dentro, muitos pegas na pista de flatout, com motos de várias cilindradas e pilotos de várias idades. Como Chuck Dicksenson, de 78 anos, que venceu uma das provas e foi ovacionado. Nas arquibancadas, muitas famílias prestigiando as atrações.

Mais um dia, mais um evento. Desta vez, corrida na montanha. A largada é realizada na parte de baixo, em superfície nem lisa. Durante a subida, os competidores tinham que saltar sobre obstáculos para então alcançar o pico. O local escolhido para a prova é uma estação de esqui no inverno. Quando não há neve, como na situação em que estivemos lá, o local é utilizado para esportes radicais, como o downhill de bicicleta e trilhas de moto off-road.

Em seguida, uma corrida espetacular na praia de Bradford Beach, que foi tomada pelo público. Sentindo a brisa do mar, pudemos presenciar apresentações de todosos tipos de maquinas na areia e motos da Harley-Davidson no estilo Flat Track acelerando forte.

O que também é forte em todos os eventos e apresentações é o patriotismo. Todos param o que estão fazendo para respeitar a bandeira e cantar o hino norte-americano, em uma cena que emociona.

Depois, a programação segue, sempre com muita paixão envolvida.

Para encerrar as comemorações, um desfile com mais de seis mil motocicletas e pilotos de os lugares do mundo. Uma festa de encher os olhos.

Quase uma religião

A devoção à Harley-Davidson que vimos nas comemorações se assemelha ao que se vê nas religiões mundo afora. A marca está estampada em tudo que se possa imaginar, todos exaltam a paixão pelas motos por onde passamos. Motocicleta é o idioma oficial por lá, não importa com quem você conversar. Se o assunto for moto, a conversa flui naturalmente.

Parabéns a Harley-Davidson pelos 115 anos e por alimentar nossa paixão pelas duas rodas. O espírito de liberdade, o vento no rosto o som dos motores, sem falar na organização impecável e na educação de todos que falaram conosco e nos proporcionaram uma experiência inesquecível.

Texto: Márcio Viana

ROBUSTEZ E CONSUMO SE DESTACAM NA FACTOR 125I

Modelo de entrada da linha urbana da Yamaha é boa opção para enfrentar dia a dia das cidades

Uma moto para o dia a dia, resistente e econômica. Além disso, que seja leve e fácil de pilotar. Essa é a Yamaha Factor 125i. Criada para uso nas cidades, a motocicleta da fabricante japonesa pode parecer de capacidade tímida, mas enfrenta os desafios da circulação na cidade com louvor.

O propulsor, um monocilíndrico flex de 124,9 cm³, atinge 11,1 cv de potência a 7.500 rpm quando abastecida com etanol e 1,16 kgf.m de torque a 6.500 rpm. Para trechos urbanos, os números são suficientes para andar tranquilamente a 60 km/h em quinta marcha, sem precisar de reduções. Em rodovias, a Factor 125 mantém velocidade superior a 100 km/h nas retas sem vibrar excessivamente. Em subidas, como é de se esperar de um motor de menor cilindrada, não há fôlego para tal tarefa.

É no perímetro urbano, entretanto, que a Factor se sobressai, com características que proporcionam ao piloto uma pilotagem suave e tranquila. Com apenas 134 kg no peso seco motocicleta atende prontamente aos comandos e se mostra ágil nas mudanças de direção. A pilotagem também é facilitada pelo bom encaixe das pernas no tanque, além da aderência proporcionada pelos pneus, sem câmara.

O conjunto de suspensão, com garfo telescópico na dianteira e sistema bichoque na traseira, absorve bem as irregularidades do asfalto brasileiro. Os freios, com disco na dianteira e tambor na traseira, sentem falta do sistema CBS, que permite o acionamento do freio dianteiro ao acionar o traseiro. Ainda assim, o conjunto para bem a motocicleta.

Consumo e autonomia impressionam
O consumo de uma moto depende de diversos fatores, evidentemente. Além do pacote técnico, a mão do piloto conta bastante. A Factor 125i possui características que a tornam econômica e uma pilotagem tranquila pode surpreender ainda mais. Na cidade, trocando de marcha cedo e sem forçar, a moto ultrapassou os 46km/l.

Combinado com o tanque de 15,7 litros, esse número pode levar a moto facilmente a mais de 650 quilômetros de autonomia. Para quem circula diariamente nas ruas, números que chamam a atenção. Na Factor 125i é possível saber se a condução é econômica: a função ECO surge no painel sempre que o motociclista está pilotando de forma a reduzir o consumo de combustível.

Em rodovias, ao se exigir um pouco mais do propulsor, o consumo cai para 35 km/l, número que ainda é atrativo.

Além da função ECO já citada, o painel, totalmente digital, conta com velocímetro, conta-giros, hodômetro parcial e total e indicador de marcha – item extremamente útil para pilotos iniciantes.

Outro item que não é visto em algumas concorrentes é o lampejador do farol dianteiro

Com preço sugerido de R$ 8.090,00 (sem frete), a Factor 125i se mostra uma motocicleta acessível e com qualidades para facilitar a vida de pilotos iniciantes e atrair quem busca uma moto econômica e capaz de enfrentar muitos quilômetros se mantendo firme e forte.

FICHA TÉCNICA Yamaha Factor 125i:

Motor

Tipo

4 tempos, SOHC, Refrigerado a ar, 2 válvulas, 1 cilindro

Cilindrada

124,9cc

Diâmetro x Curso

52,4 x 57,9mm

Taxa de Compressão

10:1

Potência Máxima

11cv (7.500rpm) (Gasolina) / 11,1cv (7.500rpm) (Etanol)

Torque Máximo

1,153 kgf.m/ 6.000 rpm (Gasolina) / 1,163 kgf.m/ 6.000 rpm (Etanol)

Sistema de Lubrificação

Cárter Úmido

Embreagem

Multi-disco, Úmida

Alimentação

Injeção Eletrônica

Câmbio

5 velocidades

Transmissão Primária/Secundária

Engrenagens / Corrente

Combustível

Gasolina / Etanol

Bateria

12V 5Ah

Sistema de Ignição

TCi

Sistema de Partida

Elétrica

Chassi

Tipo do Chassi

Diamante

Suspensão dianteira / curso

Garfo telescópico / 120mm

Suspensão traseira / curso

Balança traseira / 92mm

Trail

86mm

Freio dianteiro

Disco hidráulico de 245mm de diâmetro

Freio traseiro

Tambor mecânico de 130mm de diâmetro

Pneu dianteiro

METZELER/ME STREET 2,75-18 M/C 42P

Pneu traseiro

METZELER/ME STREET 90/90-18 M/C 57P

Dimensões

Comprimento x Largura x Altura

2.015mm x 735mm x 1.085mm

Distância entre eixos

1.325mm

Altura do assento

785mm

Altura mínima do solo

175mm

Peso em ordem de marcha

124kg

Capacidade do óleo do motor

1,25 litros

Tanque de combustível

15,7 litros

Texto: Gabriel Carvalho e Gustavo Ceccarelli




Erro de software tornou quase 300 SUVs da Subaru inutilizáveis

Falha em código afetou a produção da linha Ascent nos EUA. Fabricante irá destruir as 293 unidades com o problema.

Um erro de software tornou inutilizáveis 293 SUVs da linha Ascent 2019, da Subaru, que precisará descartar esses automóveis, de acordo com uma reportagem do The Next Web.

Segundo o site, que cita informações de um relatório de segurança da National Highway Traffic Safety
Administration (NHTSA)
, o problema de código afetou o processo de montagem dos veículos nos EUA.

O bug em questão fez com que os robôs usados na produção das unidades falhassem em soldar os pilares das dobradiças das portas traseiras, o que reduziria a força da estrutura dos carros e poderia causar ferimentos nos passageiros em um acidente, de acordo com a reportagem.

Como não havia um modo de consertar o problema por meio da troca de componentes, segundo a Subaru, todas essas 293 SUVs Ascent serão totalmente destruídas pela fabricante.

Dessas quase 300 SUVs com a falha, apenas 9 unidades chegaram a ser vendidas no mercado, de forma que esses consumidores receberão novos veículos em substituição.




(Fonte: Da Redação) - 24/09/2018
LS2 LANÇA LINHA DE CAPACETES PARA PÚBLICO INFANTIL

Modelos, com tamanhos reduzidos, contam com narigueira e forro removível e lavável

A LS2 lançou a linha de capacetes Rapid Mini (FF 353J), que tem tamanhos do 48 ao 52, voltados ao público infantil.

Disponível em três versões – Monster, Pop Crazy e Monocolor – o capacete Rapid Mini é construído em plástico ABS com tecnologia exclusiva HPTT que proporciona mais estabilidade ao material.

O Rapid Mini também possui narigueira, forro removível e lavável e viseira em policarbonato.

O preço sugerido é de R$ 599,90. Para mais informações, acesse o site oficial da fabricante.

Fotos: Divulgação

(Fonte: Agência Infomoto) - 24/09/2018
SÉRIE AMERICAN CHOPPER ESTÁ DE VOLTA

Os fãs de motos customizadas podem comemorar a volta da série American Chopper, estrelada por Paul Teutul e seu filho Paul Jr. A série volta a ser apresentada pelo Discovery Channel com estreia prevista para 29 de setembro, às 18h.

A dupla sempre brindou os fãs com motos incríveis e revolucionárias em criatividade e acabamento. Por outro lado, ambos têm gênio forte e protagonizam discussões acaloradas que culminaram na separação de pai e filho, que se tornaram rivais.

Por fim, após anos de silêncio e competição entre eles, ambos acharam que o melhor é voltar a trabalhar juntos para reforçar a OCC – Orange County Choppers, a empresa da família.

No episódio de estreia, o desafio é a criação de uma moto para atender à expectativa dos executivos de um hotel nas Filipinas - o sucesso pode representar a entrada da empresa no cobiçado mercado asiático. Outro desafio é a restauração de moto feita por eles que voltou à oficina em péssimas condições.

Serviço
American Chopper
Estreia: sábado, 29 de setembro, às 18h
Classificação indicativa: 10 anos

(Fonte: Agência Infomoto) - 18/09/2018
Listando: 5 de 1079

Anuncie

Sobre o Portal da General Osório

O Portal da General Osório foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua General Osório (boca das motos) no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de Motociclismo.