Grupo RL

Notícias na General Osório

Listando: 1 à 5 de 1331
Hora de mudar a estratégia pra atrair profissional de tecnologia

A guerra por talentos de tecnologia está cada vez mais acentuada e a disputa por desenvolvedores se tornou global, sobretudo após a pandemia. Os salários estão altíssimos e estima-se um gap de 1 milhão de talentos em tecnologia no Brasil até 2030, segundo a McKinsey.



Kleber Piedade alerta para o erro na busca pelos profissionais de tecnologia
Foto: Divulgação

Diariamente, empresas vêm tentando resolver a dor de contratação em tecnologia com a implementação de um ATS (Applicant Tracking System) para auxiliar no recrutamento das pessoas candidatas com o perfil mais aderente para as vagas abertas. Porém, o mercado está tão concorrido que um profissional de tecnologia não necessita parar para realizar a inscrição em um processo seletivo que tenha várias etapas, a menos que a sua marca empregadora seja MUITO atrativa. Estes profissionais estão recebendo ofertas de trabalho todos os dias no LinkedIn e em outras plataformas.

Além disso, ao perceber que apenas a utilização de um ATS não traz os resultados esperados para esse processo, as empresas contratam tech recruiters, que passam o dia varrendo o LinkedIn e outros canais em busca de talentos. Ao fim do dia, o que ocorre é que TODAS as empresas que precisam contratar para tecnologia estão usando essa mesma estratégia, e ela tem se tornado cada vez menos eficiente.

Por isso, aceite! Só o seu ATS e o trabalho de hunting não vão resolver o gap de contratações de tecnologia.

O caminho mais sustentável e eficiente para resolver esta dor é a construção de uma marca empregadora (Employer Branding) forte, que desperte o interesse e a vontade dos talentos tech em trabalhar na sua organização.

Atualmente o talento tem diversos pontos de contato com a sua marca empregadora antes de decidir participar de um processo seletivo, e de todos os talentos que sua marca empregadora impacta. Poucos efetivamente chegam a se aplicar para uma vaga. Isso quer dizer que você tem que começar o relacionamento muito mais cedo, e se atentar à jornada desse talento nos diversos pontos de contato com a sua empresa.

Para isso, investir em Employer Branding (EB) é essencial. Reduz em até 50% o seu custo por contratação (Linkedin) e diminui em até 28% o seu turn-over (Office Vibe).

Está convencido que investir em Employer Branding é uma boa estratégia? Pois bem, agora é hora de começar a colocar em prática. Neste momento, algumas armadilhas podem prejudicar os seus resultados.

Ao começar a investir em Employer Branding para atrair profissionais de tech, muitas empresas decidem patrocinar eventos de tecnologia, realizar hackathons ou investir em mídias sociais de carreiras. Essas são todas as iniciativas válidas que fazem parte de uma estratégia de EB vencedora. Porém, o grande desafio está na mensuração do resultado destas iniciativas e em garantir a nutrição do relacionamento com os talentos após aquele primeiro contato. É importante também ter consistência e paciência, já que uma marca empregadora de sucesso não se constrói do dia para a noite.

Para ajudar nesses desafios, é essencial você contar com uma ferramenta que te permita criar o seu próprio pool de talentos, importar os contatos que você impacta nestes canais e nutrir o relacionamento com o talento de forma personalizada e empática. Melhor ainda se essa ferramenta estiver conectada com o seu ATS, para você entender quando um talento se aplica para uma vaga ou é aprovado. Ferramentas como o Spark, que já é usado por empresas como Ambev, Raízen, Grupo Boticário e VIA são essenciais para ajudar nestes desafios.

Investir em Employer Branding é essencial para contratar profissionais de tecnologia e tornar a sua marca empregadora mais atrativa para este público. A dica é começar o quanto antes e buscar mensurar todas as suas ações, para conseguir avaliar os resultados e ir melhorando cada vez mais.

(*) Kleber Piedade é CEO da Matchbox, HRtech especializada em soluções de employer branding; Formado em Propaganda e Marketing na ESPM, ele também tem MBA na USP em Administração.

(Fonte: Kleber Piedade * Homework) - 21/06/2022
PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS ULTRAPASSA 430 MIL UNIDADES PRODUZIDAS

O volume registrado em 2022 é 22,3% maior do que no ano passado

Segundo dados Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - Abraciclo, o setor fechou o primeiro quadrimestre do ano com 439.817 unidades produzidas.

Ainda de acordo com a Abraciclo, 112.678 motocicletas saíram das linhas de montagem do Polo Industrial de Manaus. Mesmo assim, isso corresponde a uma retração de 17,4% na comparação com março (136.350 unidades) e de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano passado (122.220 motocicletas).

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, explica que as fabricantes operam dentro da normalidade e conforme o planejamento anual. “As unidades fabris cumprem seus programas de produção. Com isso, mantemos nossa expectativa de produzir 1,29 milhão de unidades em 2022”, afirma. Com esse resultado, a indústria de motocicletas estima crescer 7,9% em 2022, na comparação com 2021 (1.195.149 unidades).
No primeiro quadrimestre foram emplacadas 382.380 motocicletas, aumento de 27,4% na comparação com o mesmo período de 2021 (300.098 unidades).

Na avaliação de Fermanian, o mercado de duas rodas segue aquecido. “É um movimento que começou com a pandemia e mais recentemente, há aquelas que escolheram o modal para driblar a alta constante nos preços dos combustíveis”.

Em abril, foram emplacadas 89.715 motocicletas de baixa cilindrada (até 160 cilindradas). Segundo dados da Abraciclo, esse volume corresponde a 83,3% do mercado. Em segundo lugar, ficaram os modelos de 161 a 449 cilindradas, que tiveram 14.618 unidades licenciadas e 13,6% de participação. As motocicletas acima de 450 cilindradas totalizaram 3.374 licenciamentos, o que representa 3,1% do mercado.

A média diária de vendas em abril, que teve 19 dias úteis, foi de 5.669 unidades.

MERCADO POR REGIÃO

A região Sudeste foi a que mais emplacou motocicletas no primeiro quadrimestre. Foram 146.905 unidades comercializadas, o que corresponde a 38,4% do mercado. Em segundo lugar, ficou a região Nordeste (115.911 unidades e 30,3% do mercado). Na sequência, vieram as regiões Norte (43.557 motocicletas e 11,4% de participação), Sul (38.982 unidades e 10,2%) e Centro Oeste (37.025 motocicletas e 9,7%).

EXPORTAÇÕES

Nos quatro primeiros meses de 2022, as exportações totalizaram 14.533 unidades, o que corresponde a uma retração de 16,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (17.441 motocicletas).

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 21/06/2022
YAMAHA XMAX DATH VADER EDIÇÃO LIMITADA!

Fica esperto, pois serão apenas 200 unidades e exclusivamente no Brasil!

A saga Star Wars tem fãs em todo o planeta e de todas as idades, mas apenas os fãs brasileiros terão acesso a essa edição comemorativa. Exclusivas, únicas ou raras, não importa, o que pesa é que, apenas 200 pessoas, fãs de Star Wars ou não, terão acesso ao terceiro lançamento dessa Collab, que obteve sucesso de vendas nas versões anteriores NMAX Império Galáctico e NMAX Aliança Rebelde. Certamente essa não será diferente.

Com o preço público sugerido de R$ 28.590,00 + frete (e R$29.535 + frete para São Paulo), estará disponível a partir da segunda quinzena de maio nas concessionárias Yamaha.

Selo comemorativo, grafismos exclusivos, logotipo Star Wars e Estrela da Morte, são alguns dos detalhes que virão nesta edição.

A consagrada e premiada XMAX dispensa apresentações mas, vale lembrar que tem um motor de 250cc, 22,8 cavalos de potência, arrefecimento líquido e o pistão forjado em alumínio com tecnologia DiASil, a mesma tecnologia utilizada nas motos de competição da Yamaha. Pode ser abastecida com até 13,2 litros de gasolina que, somados ao baixo consumo e sua motorização, está apta a pegar estrada tranquilamente. Com conforto e segurança!

A Smart Key habilita o funcionamento, abertura do tanque e o compartimento sob o banco, que permite carregar mais itens do que você imagina! Além disso, dois compartimentos localizados no cockpit ajudam com pequenos itens, além de oferecer uma tomada 12V.

O conforto ainda aumenta com guidão e pára-brisa ajustáveis. O guidão pode ser ajustado 20 mm mais a frente enquanto que, o pára-brisas, 50 mm mais acima.

A dica está dada, entre em contato com a concessionária e reserve a sua, pois não creio que vá demorar para esgotar as vendas.

PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS ULTRAPASSA 430 MIL UNIDADES PRODUZIDAS

O volume registrado em 2022 é 22,3% maior do que no ano passado

Segundo dados Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - Abraciclo, o setor fechou o primeiro quadrimestre do ano com 439.817 unidades produzidas.

Ainda de acordo com a Abraciclo, 112.678 motocicletas saíram das linhas de montagem do Polo Industrial de Manaus. Mesmo assim, isso corresponde a uma retração de 17,4% na comparação com março (136.350 unidades) e de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano passado (122.220 motocicletas).

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, explica que as fabricantes operam dentro da normalidade e conforme o planejamento anual. “As unidades fabris cumprem seus programas de produção. Com isso, mantemos nossa expectativa de produzir 1,29 milhão de unidades em 2022”, afirma. Com esse resultado, a indústria de motocicletas estima crescer 7,9% em 2022, na comparação com 2021 (1.195.149 unidades).
No primeiro quadrimestre foram emplacadas 382.380 motocicletas, aumento de 27,4% na comparação com o mesmo período de 2021 (300.098 unidades).

Na avaliação de Fermanian, o mercado de duas rodas segue aquecido. “É um movimento que começou com a pandemia e mais recentemente, há aquelas que escolheram o modal para driblar a alta constante nos preços dos combustíveis”.

Em abril, foram emplacadas 89.715 motocicletas de baixa cilindrada (até 160 cilindradas). Segundo dados da Abraciclo, esse volume corresponde a 83,3% do mercado. Em segundo lugar, ficaram os modelos de 161 a 449 cilindradas, que tiveram 14.618 unidades licenciadas e 13,6% de participação. As motocicletas acima de 450 cilindradas totalizaram 3.374 licenciamentos, o que representa 3,1% do mercado.

A média diária de vendas em abril, que teve 19 dias úteis, foi de 5.669 unidades.

MERCADO POR REGIÃO

A região Sudeste foi a que mais emplacou motocicletas no primeiro quadrimestre. Foram 146.905 unidades comercializadas, o que corresponde a 38,4% do mercado. Em segundo lugar, ficou a região Nordeste (115.911 unidades e 30,3% do mercado). Na sequência, vieram as regiões Norte (43.557 motocicletas e 11,4% de participação), Sul (38.982 unidades e 10,2%) e Centro Oeste (37.025 motocicletas e 9,7%).

EXPORTAÇÕES

Nos quatro primeiros meses de 2022, as exportações totalizaram 14.533 unidades, o que corresponde a uma retração de 16,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (17.441 motocicletas).

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 16/05/2022
20 MOTOS MAIS VENDIDAS EM ABRIL DE 2022

Honda conta com uma participação de 77,26% do mercado, seguida pela Yamaha (15,49%) e Shineray (1,70%).

As motos estão em alta! Ao total foram comercializadas 106.852 motocicletas em abril.

No acumulado do ano de 2022 houve um aumento de 27,40% comparado ao mesmo período de 2021.

Apesar da leve diminuição de 2,13% nos emplacamentos de abril, em comparação a março, as motocicletas foram o setor que registrou melhor desempenho no primeiro quadrimestre de 2022.

O Presidente FENABRAVE, Andreta Jr, comenta o aumento na venda de motos: “Serviços de delivery, e-commerce e a alta do preço dos combustíveis tem atraído mais os consumidores para motos, cujo consumo é menor do que em automóveis, por exemplo”.

No Top 20 das motos mais vendidas tiveram poucas alterações de posições em relação a março. A Honda CB Twister recuperou a quinta posição, ultrapassando o scooter PCX 150.

Destaque para a Honda XRE 300 que subiu da 12ª colocação para o 8º lugar e a Elite que escalou do 11º para a 9º lugar de mais emplacadas. A novidade, ficou por conta do primeiro mês de venda completa da Yamaha Fluo 125 que alcançou 891 unidades comercializadas.

Quem caiu foi a Yamaha Fazer, da 8º posição para a atual 10ª posição com 1.991 unidades emplacadas em abril de 2022.

Analisando por subsegmento, as motocicletas City foram as mais vendidas com uma participação de 40,70%, seguido pelo Scooter com 36,52% e Trail/Fun com 18,24%.

CONFIRA QUAIS FORAM AS 2022 MOTOS MAIS VENDIDAS EM ABRIL DE 2022:

1 - HONDA CG 160

31.163 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 104.035)

2 - HONDA BIZ

15.184 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 53.178)

3 - HONDA POP 110I

11.332 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 39.345)

4 - HONDA BROS NXR 160

9.771 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 36.810)

5 - HONDA CB 250F TWISTER

3.410 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 12.048)

6 - HONDA PCX 150

3.229 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 11.314)

7 - YAMAHA YBR 150

2.915 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 11.584)

8 - HONDA XRE 300

2.668 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 8.659)

9 - HONDA ELITE 125

2.271 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 7.194)

10 - YAMAHA FAZER 250

1.991 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 9.658)

11 - YAMAHA FAZER 150

1.974 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 8.620)

12 - HONDA XRE 190

1.968 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 6.401)

13 - YAMAHA XTZ 150 CROSSER

1.726 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 7.959)

14 - YAMAHA XTZ 250 - LANDER

1.707 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 6.041)

15 - YAMAHA NMAX

1.679 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 8.844)

16 - YAMAHA NEO 125

1.176 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 3.417)

17 - YAMAHA YBR 125

1.074 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 4.007)

18 - SHINERAY XY 50

1.067 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 3.737)

19 - YAMAHA FLUO 125

891 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 913)

20 - HONDA ADV 150

817 unidades emplacadas em abril. (Acumulado de 2022: 3.916)

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 09/05/2022
Listando: 5 de 1331

Anuncie

Sobre o Portal da General Osório

O Portal da General Osório foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua General Osório (boca das motos) no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de Motociclismo.