Grupo RL

Notícias na General Osório

Listando: 6 à 10 de 1331
VOCÊ CONHECE O MOVIMENTO MAIO AMARELO?

Ele nasceu com uma proposta que nos interessa muito!

Nós motociclistas somos muito vulneráveis no trânsito. É verdade que muitos de nós cometem abusos com frequência de toda natureza, desde passar em sinal vermelho e andar na contramão, até ultrapassar, em muito, os limites de velocidade. Esquecemos às vezes, ou não pensamos, que as consequências para nós, motociclistas, são infinitamente piores quando enfrentamos um veículo de 4 rodas. Mas nem assim, passamos a ter uma atitude mais conservadora.

O MOVIMENTO

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.



Recentemente, no ano de 2021, 8,4% das vidas perdidas nas rodovias federais brasileiras foram causadas por ingestão de álcool e drogas! Ou seja, 452 mortes! Isso só nas federais.

O ranking das principais causas de sinistros de trânsito tem em seu sexto lugar, com 4.532 ocorrências, o consumo de álcool segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Mesmo com essas informações, por mais incrível que pareça, a dois anos que as fiscalizações para o combate dessa prática vem diminuindo! Sim, diminuindo!

A PRF realizou em 2019, 17.274 fiscalizações e registrou, nada mais nada menos que 19.966 infrações por dirigir sob efeito de álcool e substâncias psicoativas, uma média de 115 infrações para cada 100 fiscalizações. Em 2021 o número de fiscalização caiu mais da metade mas, as infrações não acompanharam, muito pelo contrário! Foram 6.787 fiscalizações e 13.724 infrações, com média de 202 infrações para cada 100 fiscalizações.

Essas informações foram levantadas pela PRF a pedido da Ammetra (Associação Mineira de Medicina do Tráfego) e, mesmo sendo inacreditável, em dois anos as infrações dobraram, ou seja, o brasileiro segue desrespeitando as leis e normas de trânsito.

“Mais pessoas estão dirigindo sob o efeito de álcool e/ou substâncias psicoativas, enquanto o número de fiscalizações cai drasticamente. Com a total flexibilização da circulação, percebemos a volta, sem nenhuma surpresa, da insegurança no trânsito do Brasil, justificado por políticas públicas ineficazes e a manutenção do perfil agressivo e imprudente de nossos motoristas. Prova disso é o que ocorreu nos últimos feriados. No Carnaval houve aumento de 18% no número de mortes e de 16% dos acidentes graves. Na Semana Santa deste ano, o número de mortes também cresceu em relação ao feriado do ano passado”, comenta o diretor científico da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), Alysson Coimbra.

Na avaliação do especialista em segurança do trânsito, a redução das fiscalizações da Lei Seca dá a falsa sensação ao motorista que as estradas estão livres para quem deseja cometer crimes e desrespeitar a lei. “E nós sabemos que isso não é verdade. Se o número de fiscalizações não aumentar, teremos um novo pico de mortes, feridos e inválidos no trânsito e ficaremos ainda mais distantes de atingir a meta da ONU de reduzir, até 2030, o número de mortes e lesões no trânsito em pelo menos 50%, o que já não conseguimos na década passada”, afirma.

Cabe a cada um de nós fazermos a nossa parte pois, enquanto “toma umas” e chega em casa tranquilo, está tudo bem. Mas, com os números aumentando, a coisa complica. Nós, motociclistas, pedestres e ciclistas, somos os mais vulneráveis no trânsito, “quem paga o pato”, por isso, cabe a nós divulgarmos e criticarmos os amigos que não dão a mínima para isso e seguem a vida achando que é um exagero, que é resistente, enfim, até acontecer algo pior com o próprio ou algum familiar.

Para saber mais acesse: https://maioamarelo.com

UMA 300CC TURBO, SERIA UMA BOA PEDIDA?

Imagens 3D de uma moto da Benda Motorcycle pode ser o novo lançamento global da marca chinesa este ano.

Por Trinity Ronzella Texto: Luiz MingioneA Benda Motorcycle, até 2020 era apenas mais um fabricante de motocicletas chinesas quase desconhecida, produzindo apenas modelos de pequena cilindrada e sem nenhuma expressão.

Mas, de alguns meses para cá, a mesma empresa lançou recentemente dois modelos inovadores de quatro cilindros e 700 cc na sua linha, além de investir em uma rede de concessionários em países da Europa.

A empresa mostrou em um teaser na internet no ano passado um modelo que chamou de VTR-300 Turbo, revelando seu desenho em imagens 3D com carenagens, do que deve ser a nova esportiva da Benda Motorcycle, que vem surpreendendo com lançamentos inéditos em design e motorização para o padrão de um fabricante chinês de motocicletas.

O modelo ainda não foi apresentado oficialmente, mas a Benda já registrou patentes de design na China e na Europa.

A suposta VTR-300 Turbo mostra mais uma vez que a empresa tem talento para desenvolver motos atraentes e contrariar o estereótipo de que as empresas chinesas são boas apenas em copiar.

Em termos de aparência, suas linhas são típicas de uma moto esportiva, mas é possível ver nas imagens 3D detalhes que chamam a atenção.

Por exemplo, o chassi parece ser de treliça de aço, mas tem uma espécie de carenagem sobrepondo esse chassi que sugerem elementos semelhantes a estruturas de alumínio retangulares, que seguem até o braço oscilante, além de suportes das pedaleiras continuando até a traseira da moto

Embora esses painéis possam ser simplesmente “capas” imitando as linhas de uma estrutura mais moderna, é possível que eles tenham também uma função, ajudar a puxar o ar de resfriamento que vem acima da roda dianteira passando pelas laterais do motor V-Twin para manter o turbo compressor refrigerado.
Nas suspensões, as imagens revelam garfos invertidos na frente e um monoamortecedor preso a um braço oscilante articulado na parte traseira. A moto deve ter rodas de liga leve com 10 raios.

No freio dianteiro apenas um único disco com pinças Brembo, o que sugere que o desempenho não será “demoníaco” na traseira, também a disco, ambos com sistema ABS.

O motor VTR-300 Turbo deve ser o mesmo motor DOHC V-Twin de 298 cc refrigeração líquida do modelo Benda VTC-300. Este motor pode produzir cerca de 30 cv, no entanto, com um turbocompressor pode chegar próximo de 45 cavalos.

Nas imagens 3D não é possível identificar um turbocompressor, mas a carenagem lateral elaborada pode ter sido desenhada para escondê-lo.

Com este ritmo “acelerado de lançamentos” de novos modelos da Benda nos últimos meses, é provável que a VTR-300 Turbo seja apresentada oficialmente ainda este ano para fazer sua estreia no mercado europeu.

Após o seu lançamento, o modelo poderia concorrer com a KTM RC 390, Yamaha R3, Ninja 300 ou Honda CB250RR.

Quanto a saber se nós poderemos comprar uma, a Benda Motorcycle já tem uma pequena rede de revendedores na Europa e os planos da empresa parecem ser globais e não só focados no mercado chinês e europeu. Quem sabe algum dia ela desembarca por aqui. É esperar para ver.

(Fonte: Por Thiago Dantas ) - 26/04/2022
ROYAL ENFIELD COMEMORA 5 ANOS DE OPERAÇÃO NO BRASIL

Marca planeja montar seus produtos localmente para firmar o compromisso de longo prazo com o Brasil

A Royal Enfield, que produz motocicletas desde 1901 de forma contínua, está presente no Brasil desde abril de 2017 e comemora 5 anos de operações no país.

Para comemorar e firmar o compromisso a longo prazo com o mercado brasileiro, a empresa anunciou que em breve deve começar a montagem local de seus produtos.

A Royal Enfield também afirmou que apesar das restrições internacionais de componentes e de transporte, conseguiu equacionar a disponibilidade de motocicletas em toda a rede, composta por 20 concessionários.

Em 2021, a marca lançou no Brasil a Meteor 350, a motocicleta tornou- se a moto chefe da marca e ocupa o posto de Custom mais vendida.

Outra novidade para comemorar os 5 anos de Brasil é o retorno dos passeios a motociclistas, que vale para proprietários de todas as marcas.

Para saber mais sobre as motocicletas da Royal Enfield, confira nossa Playlist:

(Fonte: Por Thiago Dantas ) - 26/04/2022
BRASILEIRO DA YAMAHA RACING BRASIL ESTREIA NO ESPANHOL DE SUPERBIKE.

Meikon Kawakami inicia neste fim de semana em nova categoria com a Yamaha YZF-R6.

O piloto brasileiro Meikon Kawakami, 20 anos, piloto da Yamaha Racing Brasil, vai participar da primeira rodada do Campeonato Espanhol de Superbike em Jerez de La Frontera, neste final de semana, nos dias 2 e 3 de abril.

Após adquirir muito aprendizado e acumular experiência na categoria SuperSport 300 do Mundial de SBK nos últimos anos, Meikon assume um novo desafio em 2022 na SuperSport 600 com a Yamaha YZF-R6, e tem como objetivo estar entre os principais nomes da categoria nesta temporada.

“Estou muito feliz e muito ansioso, os testes com a moto foram muito positivos. Não vejo a hora de fazer a minha primeira largada de R6. Conto com a torcida de todos". disse o piloto

Meikon e a equipe AD78 Team Brasil estão na Europa desde o início de março. O piloto realizou os treinos de pré-temporada em Jerez e Aragon na Espanha, e também no autódromo de Estoril, em Portugal.

“Em cada saída de treino me sinto mais confiante com a moto e os testes, uma pena a chuva, mas enfim, acho que o importante é ter andado tanto no seco quanto no molhado. Minha meta no ESBK esse ano é o Top 5”. Declarou Meikon.

Além de Meikon Kawakami, a equipe AD78 Team Brasil terá mais um representante brasileiro acelerando em Jerez de La Frontera no fim de semana. Eduardo Burr, que também participa da Yamaha R3 bLU cRU European Cup nesta temporada, entra na pista na categoria SuperSport 300 (SBK Junior), pilotando sua YZF-R3.

Programação da etapa:
Sexta-feira, 1º de abril
09:05 às 10:25 - Supersport NG - Treino Livre 1

12:10 às 12:45 - SBK Junior - Treino Livre 1

14:25 às 15:05 - Supersport NG - Treino Livre 2

16:50 às 17:25 - SBK Junior - Treino Livre 2

Sábado, 2 de abril
10:50 às 11:20 - Supersport – Treino Cronometrado

11:30 às 11:55 - SBK Junior– Treino Cronometrado

15:50 - Abertura PitLane - Supersport NG - Corrida 1 - 16 voltas

16:05 - Abertura PitLane - SBK Junior - Corrida 1 - 12 voltas

Domingo, 3 de abril
8:00 - Abertura do paddock

8:30 - Inspeção da pista

9:30 às 9:40 - Supersport NG - Warm-up

10:20 às 10:30 - SBK Junior - Warm-up

13:00 - Abertura PitLane - Supersport NG - Corrida 2 - 16 voltas

16:00 - Abertura PitLane - SBK Junior - Corrida 2 - 12 voltas

ROYAL ENFIELD CONTINENTAL GT - VALE A PENA?

Ficamos uma semana com a Royal Enfield Continental GT para uma avaliação completa, será que vale a pena?

A Royal Enfield é uma das marcas de moto mais antigas do mundo, mas tudo começou em 1891 com uma fábrica de armamentos que decidiu diversificar sua produção. A primeira motocicleta Royal Enfield foi lançada em 1901, com o lema da marca “Make like a gun”, que significa “feito como uma arma”.

A marca chegou ao Brasil em 2017 e atualmente tem foco na produção de motocicletas de média cilindrada com visual clássico, sendo elas: Meteor 350, Himalayan, Interceptor 650 e Continental GT 650.

E hoje vamos testar a Continental GT 650, a moto alia um visual de moto de Cafe Racer dos anos 1950 com um motor bicilíndrico de 650 cilindradas. Confira o vídeo:



O visual Cafe Racer da Continental GT 650 chama atenção pelo formato do tanque, o banco plano e o semi guidão que proporciona uma pilotagem mais esportiva junto com as pedaleiras recuadas.

O motor é de dois cilindros que gera 47 cv a 7.250 rpm de potência máxima e 52 Nm a 5.250 rpm de torque máximo. Como uma típica Royal Enfield, a Continental GT possui um forte torque em baixas rotações, para você ter noção, 80% do torque já está disponível a 2.500 rpm. O câmbio é de 6 velocidades e a saída dupla do escape (uma de cada lado) entrega mais charme à moto.

O tanque tem capacidade de 13,7 litros com reserva e o consumo gira em torno de 25km/l, óbvio que isso vai depender da sua mão. As rodas são aro 18, tanto na dianteira, como na traseira, com disco flutuante de 320 mm na frente e disco de 240 mm atrás. A Continental GT possui ABS nas duas rodas, aeroquip de fábrica e o freio é ByBre, subsidiária da Brembo.

A suspensão dianteira é de Garfo telescópico com curso de 110 mm, enquanto na traseira a suspensão é de duplo amortecedor a gás com 88 mm de curso e ajuste de pré-carga.

O painel é simples, são dois relógios analógicos (velocímetro e contagiros) e um pequeno visor digital com marcador de combustível, hodômetro, trip A e trip B.

Apesar da Continental GT possuir uma posição de pilotagem mais esportiva, não chega a ser desconfortável, sendo possível sua utilização no dia-a-dia. Mas, o que ela gosta mesmo são pistas livres com curvas aos finais de semana, já que o motor é suave, progressivo e com baixa vibração.

Então, a Continental GT vale a pena? Com o preço a partir de R$ 26.990, a motocicleta apresenta uma excelente opção de custo-benefício para quem deseja uma moto com visual clássico, desempenho moderno e que não seja visada pelos ladrões.

O modelo 2022 pode ser encontrado em 5 opções de cores, sendo eles: Rocker Red, British Racing Green, Dux Deluxe, Ventura Storm e Mister Clean, que é a top de linha com o tanque cromado.

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 04/04/2022
Listando: 10 de 1331

Anuncie

Sobre o Portal da General Osório

O Portal da General Osório foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua General Osório (boca das motos) no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de Motociclismo.